Total de visualizações de página

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Amiga Saudade, não se vá!...

08/07/2013 1:18h

Amiga Saudade, não se vá!
Não ligue para os tolos,
Pois não sabem o que dizem.

Não se sinta oprimida, Amiga!
Tens a mim, seu fiel companheiro!
Não partas, não quero outra saudade...

Ah, minha doce Saudade...
Não poderia sentir outra, senão,
A tua, pois é minha saudade!

E te sentir me faz bem... A saudade
É dolorida, sabemos... mas é assim,
Pois és Saudade na presença...

...E, na ausência, é saudade,
Angústia de quem tanto Ama,
Plena certeza de quem tem...

E a saudade que entorpece
Não é a mesma em ninguém!
É saudade da Saudade, Amiga...

...E a dor de quem não tem
Não é a mesma de quem sente:
A Saudade é única... e a saudade...

És musa, Eternamente! Saudade
É sentir tua glória, teu fervor!
É a pureza semeada, fruto Amor...

E a Saudade que sinto, Amiga,
Sempre será tua... E a saudade,
que vier, talvez não seja minha...

1:28h

domingo, 7 de julho de 2013

Marcial, músico e escritor, refleti acerca da essência numa "luta" do Anderson Silva. Eis o resultado.

Meditei as palavras do Anderson Silva, proferidas ao final do combate de ontem (06/07/2013) e percebi o quanto estamos desrespeitosos e sem essência... É uma pena...

Como brasileiro, apaixonado por artes marciais, decidi postar esse comentário. Sou um cristão Católico que pratica artes marciais há 20 anos. Em muito dos treinos, nos diversos estilos de arte, aprendi muito com a peculiaridade de cada uma. Neste domingo (07/07/2013), assisti uma reprise da luta do Anderson Silva. E fiz minha análise.
No primeiro ponto, a primeira análise bombardeou o lutador não pelo desmerecimento do mesmo quanto ao adversário... Era evidente que a luta estava "no papo". Impossível de o Spider ser derrotado. Ao final da luta, após um "falso" knockout, nosso campeão estaria "derrotado" (?), mas não foi o que aconteceu.
A luta já mostrava o quanto o Anderson Silva estava num excelente nível. Ele já marcou história, fez seu nome e o nome do país que o pariu. Não havia mais sentido em continuar lutando. Exatamente. Iniciou-se minha segunda análise.
Ao assistir à luta, fiquei decepcionado. O óbvio estava esculpido: Anderson não podia perder! Ele é imbatível. Entretanto, após os escores de toda a palhaçada norte-americana, aquele bando de anencéfalos gritando e querendo humilhar o Anderson, xingando, urrando absurdos, só enalteciam a humildade do lutador.
Foi no tão esperado discurso, pós-discurso do campeão Chris, que a verdade veio à tona. Tudo em inglês e com o grande desfecho em língua vernácula, Anderson Silva mostra a superioridade de um povo que sabe reconhecer não somente a vitória de um adversário, com humildade e sutileza, mas a hora de parar para viver.
E foi assim que minha segunda análise destruiu minha infeliz análise inicial: "Eu treinei muito duro para este momento. O Chris é um grande lutador e é o novo campeão. Ele merece respeito. Agora posso voltar para minha família, meu país e meus estudos. Eu não quero mais lutar por um cinturão. Agora, ele é o campeão. E vcs devem respeitá-lo. Obrigado EUA, obrigado a todos, obrigado pela minha carreira, obrigado Brasil. Brasileiros, respeitem o Chris, ele é o campeão e eu fiz o que pude. Agora, vou voltar pra casa. Deus abençoe todos vcs", e encerrou com um singelo discurso em português.
Parabéns, Anderson. Sua verdadeira e maior vitória é poder voltar para sua vida, viver seus filhos, sua esposa que tanto te espera em cada dia de treino e combates longe de casa, para seu crescimento intelectual, espiritual. Não precisa que ninguém lhe diga ser um vencedor ou perdedor, pois seu histórico de vida, suas experiências, quedas e erguidas já gritam isso consistentemente. Sucesso na sua verdadeira jornada, cara!
Deus abençoe!

P.S.: É, amigos. Nem sempre esperamos ter aquilo que precisamos. Somos guiados pelo que "queremos" e esquecemos da essência. Queríamos mais uma vitória... mas.. até quando?! Às custas de quê?! E o cara que tá lá, dia a dia, treinos após treino, sem família, sem mulher, longe dos amigos?! E a estafa?! E o cansaço?! E a vontade louca de voltar pra casa e, simplesmente, viver a própria vida com dignidade?! Ele fez o que precisava fazer. E não teve vergonha disso. Somos Marciais natos... mas não sabemos a hora exata de parar. Chega um momento em que "lutamos a qualquer custo", pisamos em quem quer que seja, só para ter uma pseudo-vitória. Machucamos pessoas, gastamos nosso tempo com coisas vis, supérfluas, passageiras... e esquecemos de alimentar a essência. E, quando nos damos conta, perdemos a vida. Ó, pobres hipócritas, até quando pisarão nas pessoas, afim de que seu ego pútrido seja saciado? Por que não viver com dignidade?! Até que ponto, ó humanidade intelectual ingrata, únicos animais com racionalidade, será capaz de fazer mal ao seu semelhante?? Ele soube a hora de parar. Ele não fez por mal.
Tomemos como exemplo e façamos nossa parte. Sejamos mais humanos. O mundo anda cheio de promiscuidade, de anti-ética, de desrespeito pelos seus... para quê continuar nessa sujeira? Tenhamos coragem de enfrentar cada derrota e erguer a cabeça com sabedoria. Perder, na verdade, é ganhar: experiência, reflexão, percepção, sabedoria e compreensão de que podemos não ser perfeitos, mas que estamos aptos a aprender das novas lições que a vida nos oferece diariamente.

Graça e paz a todos!! E bom domingo!!