Total de visualizações de página

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Inefável Sensação Avassaladora :)

Tenra noite de luar oculto... amplidão
Celeste que me inebria a alma, ó fulgor!
Por que distancias o almejado bel-torpor
Do vil ser que sou?! Pobre coração...


Ante suave brisa que me busca acalmar
A alma minha... para que tanto sonhar
Se a angústia da verdade é tão iminente?
Que fim há de ter, posto que é veemente?


Triste canção que não me cala a alma...
Fere a fio, desconheço ainda... é hiponente
E implacável, mesmo vendo frágil ser...


E na loucura de mim, perco a calma...
E desconheço-me... perco, enfim, o querer
Se escondo em mim doçura eloquente...


Lelo Mendes

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Menos de um segundo... ♪

Menos de um segundo e eu já perco o ar
Quase um minuto, quero te encontrar...
É um sentimento que preciso controlar
Por que você se foi? não está aqui...  
(Rosa de Saron - Menos de um segundo)


 O dia iniciara de uma maneira diferente: o que haveria de fazer em meio à tantas questões, sendo que, a absoluta maioria, não haveria resposta?
Essa é a idéia com o maior senso de loucura que poderia acontecer num dia comum. O que pensar, de fato? Aonde ir...? O que fazer...?
Iniciara com singular calor a manhã que me consumira em alguns poucos pensamentos. Alguns diálogos, inefáveis em carinho, foram traçados. Sucedera a tarde e, consigo, um dia comum de aula, mas com poucas palavras afetivas, mas muita informação. O que se passara, de fato? Apenas um dia comum. Talvez não tão comum quanto deveras... mas diferentemente comum. Certamente alguns pensarão "incomum"... Não sei, ao certo.
Os pensamentos que me ocoreram na manhã silenciaram durante a tarde, e uma imensa necessidade de arte passou a me consumir ferozmente. Nos momentos vagos, ardia em melodias das mais diversas... minhas mãos dançavam suave e bruscamente com a guitarra... e as notas eram cantadas com absoluta precisão. Mas ainda não era o que buscara durante os pensamentos... e, ainda assim, aquilo me fizera perecer e buscar mares mais densos...
Calaram-se minhas mãos por algum momento... e eis que a resposta passou a tomar forma... o que buscara pela manhã, fora, finalmente, encontrado... E voltara a inspiração, que não via há algum tempo... :)
A voz que rasgava com emoção o recinto fazia-o com maestria. E as notas passaram a tomar forma... outra vez? Não, posto que, anteriormente, não era o que buscara.


Aonde quer que você vá, eu quero te encontrar por onde você for ♪ 


Pode ser que ainda não faça sentido algum o título, mas, em suma, o que é para ser, se observarmos que o momento exato não necessita de tempo para sua iminência, mas, simplesmente, ser o que tem que ser quando, em verdade, tiver que ser, é a resposta para o que se busca. Compreendi, talvez, e talvez não seja importante para muitos, que a iminência é constante (será que isso é tão simples quanto aparenta?)... e que o tempo é aquilo que é pertinente a nós, posto que tudo que acontece detém exatidão de acontecimento. Biblicamente falando, "não há uma folha sequer de árvore que caia sem que Deus saiba"...
Menos de um segundo para que acontecesse. E os processos...??? Até os processos têm hora marcada :)
Se faz algum sentido, disto, eu não sei... foi o que me veio à reflexão...
E quanto às perguntas que me afligiam pela manhã?! Eu não sei... mas absorvi que tudo tem o seu tempo. Posso não as compreender, não ter suas respostas agora... e, por isso, aceitei ser melhor a compreensão de que é preferível gastar o tempo não com tais questões, mas com o que está breve ao meu olhar. Tentar compreender o incompreensível é perecer sem viver... e isso, eu não quero. Não mais... não agora... fizera muito... há algum tempo... por algum tempo... Agora?... Não mais... por hora :)


Paz e bem a todos... ^^

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

♪ Rosa de Saron - Real em mim ♪

Mesmo que eu quisesse negar
Ainda que tentasse esconder
O seu amor Senhor se fez Real em mim
Não quero e nem posso isso mudar


Não esqueço o que fez por mim
Entregando sua vida em meu lugar
Nunca ninguém Senhor, me amou de modo assim
Eu descobri ao seu lado é meu lugar


É por isso que não calo a minha voz,
É por isso que eu canto essa canção,
E te faço aqui juras de amor
É por isso que não calo a minha voz,
É por isso que eu canto essa canção,
E te faço aqui juras de amor
Pois, bem antes conquistou meu coração.


Não esqueço o que fez por mim...

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Lindo dia de sol... :)

Tempo...

O dia começou de uma maneira tão bonita... mesmo debilitado, tinha forças o suficiente para apreciar o céu, as nuvens, a brisa matinal... Lembrei de uma passagem do Ecce Homo (Nietszche) onde há um relato sobre o poder da reflexão e a congruência de sua potência quando há algo que agrida nossa saúde. É observado, no livro, que o homem entra em processo profundo de reflexão da vida quando está debilitado. Penso ser, isso, real. A debilidade faz com que paremos um pouco com nossas rotinas diárias como foco principal... e passemos a nos preocupar, pouco ou muito, mas de alguma maneira, consigo mesmo.
É importante ressaltar o quanto esquecemos dessa essência... de que nós vivemos, mas deixamos de lado o papel principal de atores protagonistas de nossas vidas, e isso nos deixa doentes.
Passei um período de exaustão fascinante. Durante 15 dias, as pessoas (amigos, conhecidos, parentes) perguntavam-me como eu estava... e eu sempre respondia que estava "muito cansado". Nossa, como isso passou "despercebido" pelos meus ouvidos d'alma. Eu sabia o que estava dizendo, mas não me preocupava. À medida que esses dias iam passando, mais tarefas iam aparecendo... e continuam a aparecer. O inevitável aconteceu: precisei escolher entre continuar e piorar. Eu já estava mal, e não queria aceitar. Estava numa debilidade incrível e não me importava :) As missões me são importantes, mas, estando fraco, não tenho como continuar. Lembrei-me de Santa Maria Faustina de Kowalska quando contraiu tuberculose. Estava à flor da idade, muito debilitada... necessitava descansar urgentemente...
Somos templo do Paráclito. Precisamos nos cuidar e creio que o Santo Padre Fábio de Melo fizera uma explanação fantástica sobre isso de "cuidar do corpo" por ser a "casa da alma". Isso é fantástico. Se eu estiver doente, não poderei seguir em minhas missões, pois não aguentarei fazer muita coisa...
E percebi o quanto o dia estava lindo... e olhei para mim ao conversar com uma amiga (nossa, mais que amiga mesmo!!) por ter percebido isso...Ela sempre me ajuda, ainda que não perceba. ^^
Comentei a sorte que tinha em ser forte... e imaginei, relatando-lhe a situação, o que seria de mim se não fosse... Mas o importante é essa reflexão... Quantas pessoas encontram-se na mesma situação? Sabemos que precisamos lutar incansavelmente... mas não podemos esquecer que somos "máquinas"... Um dia, há alguns anos atrás, eu pensei nisso... que eu poderia ser como uma máquina... por ser um super-atleta... e tive graves problemas de saúde por causa disso... Mas como? um atleta? Exatamente. Independentemente do meu "perfeito" metabolismo, meu corpo necessita de repouso. ^^ Adquiri epilepsia ^^ E, hoje, oriento muitas pessoas que têm um ritmo "louco" como o que eu tive (confesso que ainda tenho, mas estou medicado - infelizmente?? não... consequentemente...) a pararem para descansar  e olharem para si... ao menos um pouco.
Coloquemos, SEMPRE, nas mãos de Deus, mas não abusemos, pois "a fé sem obras é morta". Se eu não cuido de mim, ao adoecer, não poderei culpar a Deus. Jamais! Ele sempre nos envia sinais... o problema é que somos tolos o suficiente para não os perceber :) Fazemos muito barulho e não conseguimos escutar Seus avisos de "tome cuidado", "repouse", "não vá para lá" ou "não faça isso"...
Um texto não tão como os outros, esse... ^^ Vejo-o como um desabafo ^^
Infelizmente não posso alcançar o coração de todos, mas o máximo que eu puder fazer, farei... e o tanto que puder lutar, lutarei... E se precisar de fôlego, pararei imediatamente, pois sou humano... mas, na dor, entregarei meu coração a Deus para que meu foco não saia dEle e se volte para a Cruz (a dor, a caminhada difícil)...e sei, com toda veemência, que Deus é conosco.
Nossa... o céu continua lindo...
Paz e bem a todos ^^