Total de visualizações de página

domingo, 28 de novembro de 2010

Iahweh - Volta

Já que a curiosidade foi despertada... eis aqui a música tão falada ^^ Espero que ajude na reflexão de muitos... principalmente em se tratando de lembrar que "Deus ama em qualquer circunstância!!" Paz e bem a todos :) (ah!! não se preocupem! em breve, novos textos!! ^^ )

♪"A pior solidão é a de quem não quer amar"♪ Banda Iahweh - Volta

Acho que perdi você, quantas vezes me procurei,
Quase não tinha esperança de me encontrar.
Parece que você está tão longe de mim,
Assim os sonhos fizeram você voltar,
Parece que você está tão longe de mim.

Eu estou do seu lado basta você se virar,
O pior cego é aquele que não quer enxergar.
Pare de sofrer, é hora de recomeçar
A pior solidão é a de quem não quer amar.

No meio do barulho é dificil ouvir,
No meio da escuridão é dificil enxergar.
Sua luz e no meu silêncio,eu vou a paz apresentar.
Parece que você está tão longe de mim,
Ouço uma voz, chamando-me para voltar.
Parece que você está tão longe de mim.

Eu estou do seu lado basta você se virar,
O pior cego é aquele que não quer enxergar.
Pare de sofrer é hora de recomeçar
A pior solidão é a de quem não quer amar.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Não há estrelas no céu...

Ó doce noite isenta de luar
Cujas estrelas não vejo iluminar
Os devaneios meus que procuro tanto
E, no entanto, poderia encontrar...

Ó pálida referência que me coubera!
Não sabes que falta me fazes, ó ausência!
Por que te foste se cá, de mim, soubera
Que a presença minha sempre estaria?!

Por que, belíssimo rio luminoso, desprezaste
A alma insignificante do ser que te implora
A presença eterna... ainda que, embora
Da dor saber não poder fugir... ó desastre...

...Aquele de não querer perecer
Ainda que se insista tanto - incompreendido?
Pela força que impulsiona ao desconhecido
É preferível a chance de não tentar sofrer?

Ainda que seja inconstante... na noite (ou dia) em que se pára a refletir acerca do que se é... ou dos caminhos que se está a trilhar... cai-se no pranto do encontro do consigo mesmo, e se percebe quanto se perdera por não ser o que se deveria ser...
Ante o que for, ainda que seja a dor, não se deve esquecer, jamais, que "de tudo se deve retirar o que é bom" (chama-se aprendizado)...e, ao contrário do sofrimento, mesmo que seja difícil (por sermos humanos... e isso é dádiva, pois nos fortalece), é necessário lembrar que cada dia é um dia... e deve ser vivido com louvor, pois graça maior não há do que a oportunidade de se fazer tudo diferente :)

Graça e paz a todos!!

Deus vos abençoe! ^^

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

"O Porão"

Tem dias em que os nossos pensamentos parecem estar mais aleatórios do que nunca...
Sentimos, ou não, estar devaneando mais que de costume, entretanto isso pode ser uma resposta para o que não sabemos ainda do que se passa conosco.
 Deparamo-nos com o espelho de nós mesmos... e percebemos o quão embaçado ele está. O que levou à tanta sujeita, tanta poeira ou embaçamento? Por que nos deparamos com pensamentos tão soltos? E onde está a nossa força de vontade para limpar?
Certa vez li num livro que "é importante limparmos nosso porão, afim de alcançarmos o sótão de nossa casa". E é verdade...
Começamos com o entulho que se encontra em nós... e vamos percebemos que há muito o que se fazer... Mas há tanto o que ser feito que acabamos, sempre, adiando o início da limpeza. Até quando?
Enquanto somos temporalmente jovens, buscamos viver intensamente o "agora" e acabamos pecando ao esquecer que "todo carro, para uma viagem, necessita de uma manutenção periódica"... e é verdade: pneus ficam carecas, a água do radiador deve estar sempre limpa, o óleo do motor precisa ser viscoso... São coisas simples, mas que, sem elas, não dá para se fazer uma viagem legal. :)
É muito cômodo quando, enquanto jovens, temos nossos queridos pais para fazerem nossa "manutenção"... e isso me lembra um pouco a canção do Pe. Zezinho, quando ele fala que "na disputa entre os pais e os filhos, para o recém-nascido, é 10 x 0 para os pais"... e assim ele segue fazendo uma linda analogia entre a vida e um jogo, sabiamente. Tenho percebido, ao longo de minhas missões, o quanto está crescente o número de jovens velhos... e o mais interessante é que há um surgimento assombroso, em consequência de tal situação, de velhos jovens também. E o que seriam?
Jovens velhos caracteriso por aqueles que tanto desejam, sonham, esperam pela maioridade... entretanto, estão sem consciência do que representa a adultez da vida: responsabilidades, reflexões acerca de ações, comportamentos; o que leva um adulto a ser chamado de adulto? O mesmo que diferencia um bebê de um idoso: fases (e, isso, tentarei não explorar por hora... mas, quem sabe, se Deus me ordenar fazê-lo, em breve o farei...).
Já os Velhos jovens... ah, que maravilha! É a plena inversão do que se passa com os jovens. Entretanto, mesmo sem saber quantos já pensaram no assunto, ou perceberam sobre o mesmo, é um assombroso contrário! Percebi isso com um exemplo muito próximo, dentro da minha família, há alguns anos atrás... realmente, aquilo me deixou fascinado :) Motivo?
A vida nos propicia um estado de evolução para o fortalecimento. Deus quer que nos tornemos verdadeiras árvores de Carvalho (esse é um bom tema... em breve ^^ ): o carvalho é tido como a única árvore capaz de resistir a qualquer tipo de catástrofe natural, pois suas raízes fincam-se profundamente a ponto de nada conseguir arrancá-lo do lugar. Entendo-o como sendo a plena forma adulta.
E como poderia o "carvalho" ser ameaçado, já que possui tão bem estabelecidas raízes?! Sim, foi isso que me surpreendeu... e me levou à reflexão de um outro tema: a falibilidade do ser humano. Entretanto, ao verificar tal ponto, percebi que não seria essa necessariamente a resposta do caos, mas o fato de permitir, já tendo consciência do todo, sendo Carvalho formado, que acontecesse o que denominei regressão.
Aonde vamos? Os papéis parecem estar se trocando... e o caos está se estabelecendo "silenciosamente", à passos largos, e ninguém (ou apenas alguns) está se dando conta da gravidade.
Percebamos a lógica: se, por um lado temos jovens que anseiam a adultez, mas que não aceitam ser responsáveis, mas unicamente querem o "poder" do ir e vir, por outro lado temos um grande grupo de adultos que não estão se observando enquanto adultos... Que estão querendo "recuperar" aquilo que se passou... ou seja, estão querendo quebrar as regras naturais da vida, e o carvalho deseja voltar a ser uma semente novamente... mas, por que desejaria alguém, implícita ou explicitamente, voltar a ser uma semente?!
Buscamos respostas... mas todas elas já se encontram numa única coleção de livros... e, nessa coleção, já consta que "filhos se voltarão contra os pais e vice-versa"... e o pior... é que há tanto já fora escrito! E não demos conta pela simples falta de fé... pela simples falta de Philia (amor).
Se tenho um posto a ser cuidado, devo ser forte e admití-lo, pois "Deus não permite uma cruz que seja maior do que a que eu posso carregar"... A caminhada é difícil... o caminho é muito estreito... e devemos, sempre, tentar.
Todo o caos está contido em mais uma máxima bíblica: "Deus não se afasta de nós, mas, nós, dEle"... ou ainda "Deus ama o pecador...e não o pecado". Precisamos de exemplos vivos? Mas...e o caos? Infelizmente, eu não posso fazer por você o que você deve fazer... mas posso tentar tirar a poeira do meu espelho (mesmo sendo frágil, falível...) para que você possa enxergar a si mesmo em mim! E eu em você... isso é amor? Sim... "Amai-vos uns aos outros como eu vos amei"... pois, se me vejo em você, é porque percebo que você é igualzinho a mim, e que, juntos, somos "imagem e semelhança" da perfeição (Deus). Saber disso, sei, é maravilhoso... entretanto... viver isso é ainda melhor!  
Acho que é bom começarmos a limpar nosso "porão" (isso mesmo, aquele lugar que fica no subsolo das casas, como aparece nos filmes, e que está cheio de entulho!), redecorá-lo e transformar em um lugar mais bonito e agradável de estar (como se fosse um álbum de fotografias, repleto de boas lembranças...) e, em seguida, subirmos para fazer uma faxina na sala do nosso coração. ^^



Deus te abençoe :)

"A pior solidão é a de quem não quer amar" ♪ (Iahweh - Volta)

Paz e bem a todos...

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Diamante Lapidado... (...)

Observe as nuvens que passam no céu... mesmo que o céu esteja nebuloso, nem sempre ele foi ou permanecerá assim...

A vida é algo que vai além do que conseguimos ver...
Quando realmente pensamos estar suficientemente fortes para enfrentar os obstáculos é que descobrimos que, em verdade, os obstáculos vão se tornando ainda maiores. Na bíblia é dito que "o tanto que for dado é o mesmo que será cobrado"... e isso já é uma boa dica para aprendermos a viver.
E viver nada mais é do que sermos postos à prova.
É preciso por em prática tudo o que aprendemos... principalmente para ver se realmente aprendemos. Não é fácil, às vezes, mas é necessário. Em suma, seria como se nós andássemos "pisando em ovos" ininterruptamente. É formidável, não? - eu, sinceramente, não acho. :)
A dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional. A parte que tanto nos incomoda, que tanto nos faz tangenciar aquele bendito caminho que estávamos a seguir é denominada "sofrimento". Não sabemos exatamente como o vencer. Não nascemos com um manual de instruções ou com um google search embutido em nossas mentes para buscar as devidas soluções ou prevenções.
A prevenção vem à medida em que vamos adquirindo experiências... e que, muitas vezes, são catastróficas... e o mais interessante é que por inúmeras e incontáveis vezes paramos para observar "como isso aconteceu?" por horas a fio (não aconteceu com você? sério?! humm... comigo sim :) , pois sou de saturno =P ¬¬'). Apegamo-nos facilmente às coisas, às relações, à pessoas propriamente ditas. Afinal, o ser humano é carente por natureza... De onde vem nossa carência? Ah, existe um estudo que aponta para a nossa gestação :), mas isso é tema para um outro post. Enfim, nascemos, portanto, já fragilizados... e isso faz com que busquemos sempre um "porto seguro", algo que nos dê firmeza, confiança, possibilidade de se "ajeitar" aquele nosso "defeitinho de fabricação". E é aí em que caímos mais uma vez com a cara no chão.
Falando matematicamente, sendo eu "humano" (vou chamar de "x"), criarei vínculos afetivos com seres humanos (amigos, familiares, namoro, noivado, casamento) [isso implica em outros "x"s], procede? Como poderia eu, então, recordando-nos a historinha de que somos TODOS seres humanos, falíveis, carentes, inconstantes, em busca de crescimento, querer uma válvula de escape chamada "ser humano" (trocando em miúdos: x = x, logo, se x = carência, x também será igual a carência; no caso de falível, será igual a falível, etc.)??
Isso não é nada complexo. O que, de fato, se torna complexo é o fato de não conseguirmos aceitar tal possibilidade (em outro momento mencionei "O Pedestal"), e esse aspecto pode nos levar a bom entendimento acerca de relacionamentos e aplicar as máximas bíblicas aqui.
Deus permitiu que tivéssemos acesso a um dos grandes ensinamentos: "orai uns pelos outros e confessai vossos pecados", bem como "um é responsável pelo outro"... Se vejo quem sofre, enquanto cristão, ao perceber o sofrimento, devo buscar meu próximo e ajudá-lo a compreender a dor e não o sofrimento. Por isso a dor é inevitável, mas o sofrimento é! Sofrer é um estado de estagnação... Parece fácil estar dizendo isso agora, mas também estou passando por um momento não muito bom... pois fiz uma escolha: "sair do buraco que cavei", ou seja, não quero mais o sofrimento, mas aceito a dor, pois é na dor que encontramos a verdadeira fonte de aprendizado :)
Não há quem diga que a dor que alguém passou não traga aprendizado! Todos, ao passarmos por dificuldades, aprendemos algo porque aquilo nos marcará pela vida inteira, e isso se tornará fonte de aprendizado para alguém mais à frente (em forma de testemunho, exemplo de vida, etc! e são exemplos que marcarão que os ouvir!!). Momentos de alegria também são bem-vindos, claro :) Mas pense comigo... diga-me silenciosamente qual foi um grande APRENDIZADO que você obteve numa grande alegria?...
...
...
...
...
...
Difícil, não?! Eu também pensei o mesmo quando comecei essa reflexão...
Então a dor é algo bom? Sim :) E devemos usufruir de tudo que ela tem a nos oferecer... Pode ser muito difícil agora, porque estamos sentindo a pancada, o impacto, a agressão dolorida... mas sofrer pela dor? Podemos optar em sentir o impacto da dor e, em seguida, após o derramamento de lágrimas (que virá, com certeza porque somos humanos!! e que bom poder dizer isso ^^ ), as enxugaremos e seguiremos em frente...
Observaremos algo do tipo "como veio essa porrada?" e aí vamos parar e pensar "nossa, da próxima vez vou olhar pra frente para não tropeçar no mesmo buraco..." :)
Ah... e não podemos esquecer... sempre, mas sempre mesmo!!!! a dor virá, os problemas serão ainda maiores... mas serão porque após a dor estaremos muito mais fortes... e não podemos anular a idéia de que o mal conspira contra nós, para que nos percamos em nossas fraquezas e fiquemos caídos no chão, vivendo o sofrimento.

Que Deus abençoe a todos vocês!! :)

Paz e bem...

"Ora et Labora" (São Bento Abade)

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Diamante Lapidado...

Observe as nuvens que passam no céu... mesmo que o céu esteja nebuloso, nem sempre ele foi ou permanecerá assim...

Paz e bem...

(Continua...)

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Logo após o Temporal ♪

Amanheceu com sutil nebulosidade. O ar estava ligeiramente frio... e a brisa que passava esfriava meu rosto.
Acreditava que não viria a luz do sol nesta manhã... até que se abrira no céu um vão suficiente para sentí-lo ardentemente na face. Seriam apenas alguns momentos tolos... enquanto meditava algumas preces e orações que me eram momentaneamente pertinentes... Mas rezava fielmente.
Percebia que o que se passara, talvez, não fosse algo em vão, mas aquilo que me faria compreender o que ainda não compreendia... ainda...
Enquanto caminhava, o sol que ali brilhava, repentinamente resolvera esconder-se dentre as nuvens... e a nebulosidade voltou à sua maestria. Não chovera. Não no tempo em que me encontrava, mas chovia dentro de mim.
A voz que me falava, ensinava-me coisas que não podia compreender... e, enquanto rezava, tais coisas eram absorvidas pela alma minha... E divinamente recebia doces explicações sobre o que de fato não pudera compreender... Até que não mais espaço ocupava na mente minha, que, para alguns, devaneava...
Fora curado. Tudo que havia de ser dito, fora dito! E o que se fazia necessário, tornou-se concreto e uma nova necessidade se firmou: tornar real aquilo que se concretizara, dando espaço a novas necessidades.
O silêncio está constante... e não há barulho perturbando minh'alma...
Há, sim, uma linda canção que toca docemente enquanto silencio o ser que creio ter domínio. Ainda creio, por ser humano, mas, à medida que se passa o tempo, percebo que mais de posse tenho sido tomado do que posse tenho tomado de mim mesmo.
E a brisa continuou a me conduzir em meus pensamentos silenciosos... e a minha oração fortaleceu-se até que não mais pudesse sentir os meus pés, pois já não mais era eu quem caminhava...

Paz e bem a todos :)

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Momento Tenso... ¬¬'

"Momento tenso" é aquele doce instante em que não há nada em mente e você, simplesmente, se cobre de processos indutivos de pensamentos, objetivando alcançar algum raciocínio que tenha (ou não) alguma coerência... afim de que (ou não) sirva para alguma coisa... Mesmo que essa coisa não sirva para nada...
O_O
realmente...

Tenso... ¬¬'

rs...

Paz e bem a todos ^^

domingo, 7 de novembro de 2010

De quantitate vitae

Ainda que procure descrever aquilo que penso ser o que está a se passar dentro de mim, não será, concretamente, o que de fato é...
Ainda que minhas palavras detenham veemência plena e absoluta, jamais serão aquilo que deveriam ser.
Penso ainda, que mesmo que escrevesse inúmeros livros, ensaios, poesias, canções, desenvolvesse campos harmônicos complexos e melodias surpreendentemente inebriantes, jamais será o que, de fato estaria dentro de mim...
"Vós sois sal de terra e luz do mundo..." (Mt 5, 1-16 - revisar todo o contexto) faz com que eu centre meus pensamento no que sou e no que devo ser... sobre o que fui? Isso não cabe a mim, pois já está nas mãos de Deus. Sobre o que sou, tenho percebido (e amado essa descoberta) que preciso e há tanto que aprender!! Descobri que não temos limites... ainda que busquemos impô-los em nossas vidas! Não, não há... o que há, de fato, é uma singular máxima a ser empregada em nossas vidas: "Deus, Senhor meu, o que queres de mim? O que deve ser decidido em minha vida por Ti e para Ti?", pois, em verdade, não somos nada... Somos apenas uma gota no oceano que é o Paráclito... É necessário ter profunda consciência disso... mas... falta tanto...
E sobre "o que devo ser"?...
É simples... mas complexamente divino...
Buscar ser aquilo que não é terreno, ainda que todos sejamos, a priori, terrenos, entretanto, em aspecto temporal... Crer no cristianismo (em particular, na fé Católica, esta, à que pertenço) nos remete à realidade de que somos "filhos do Céu"... e todos sabemos disso... Vivemos num caminho sem volta... Se vamos a algum lugar, algum dia, de lá não voltaremos a menos que seja chegada a hora do Juízo...
Será que tenho buscado ser aquilo que devo ser?
Será que tenho buscado não julgar (lembrando que todos seremos julgados - isto serve para os que crêem nessa doutrina) e procurado viver o que é bom para mim, em essência?
É preciso estar em profunda oração... é preciso buscar o silêncio... é necessário alcançar o distanciamento do "EU" comigo mesmo... e procurar pensar na Perfeição: "Sendo Deus a verdadeira e única perfeição, por que não Lhe perguntar o que é, de fato, bom para mim? De que EU teria receio?" ... Da verdade, talvez? Sim... a verdade que vem da Perfeição...
Temos uma imensa potência chamada "vida" e a desperdiçamos demasiadamente enquanto estamos "vivos"...
Há uma bela frase sobre a morte, que diz: "Ao morrer aqui, não estarei perdendo minha vida, mas entrando para a vida eterna".

Paz e bem a todos... :)

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Silêncio... (parte 3 - O Silêncio vem para o dom da observância...)

"O Silêncio é o mestre dos mestres, pois ensina sem falar..." São Bento Abade

(...)

"...E Deus fez o homem a Sua imagem e semelhança"

O Silêncio vem para o dom da observância...
Enquanto há tanto que ser feito, temos muito de influência... porque o mundo não nos quer livres... A influência vem para que não tenhamos a certeza das dádivas divinas...
Deus nos propõe liberdade... ELE mesmo não interfere em nosso livre-arbítrio! [sei que alguns ainda se questionam: e como pode? se alguém é cristão, está preso a alguma coisa!! e eu faço a réplica: SERÁ?? Prove, se tiver alguma COMPETÊNCIA... sem grosseiras da minha parte, claro...rs]

Percebo que já houve pensamentos sobre os títulos dessas reflexões..."Silêncio..." só pelo fato de já ter escrito bastante (relativa quantidade)... E onde está o silêncio?
Enquanto escrevia, não percebia que eu também fazia muito barulho [ah háaaa!!! vcs também acharam isso?! rs...] . Um pequeno GRANDE barulho, na verdade ^^ "A boca fala daquilo que está cheio o coração"... e eu necessitava esboçar algo que pudesse alcançar o íntimo de quem refletisse aqui comigo... Como posso vencer o barulho com o "Silêncio..."?! Parece complicado, mas não é...
Tudo que causa "Silêncio...", em um simples compacto do que aprendi, foi colocado nesses pequenos textos :)
E o silêncio teve início no barulho que nós fazíamos... Sim, joguei o "Silêncio..." na maior massa sonora que havia: os nossos corações...
Enquanto disputávamos, questionávamos, colocávamos para fora tudo o que estava entupido, entalado em nossas gargantas... esgotamo-nos... ah, sim... agora sim, há o mais belo som... o som do silêncio...
Nos mosteiros beneditinos [e agora gostaria de partilhar um pouco de minha vida, do meu aprendizado...] o silêncio é uma constante... e é chamado de REGRA... "O silêncio é absoluto..."
Na sagrada escritura há uma belíssima e densa afirmação que profere que "é necessário silenciar até se ouvir a voz de Deus", porque é lá onde Deus se encontra... no silêncio de nossos corações...
Muitas vezes passamos por tribulações... *dúvidas... e não sabemos o que fazer ou onde buscar auxílio... Neste momento [compartilho convosco] passo por um momento de decisão... de dúvida. Aquela dúvida onde nos descobrimos erradicados pelo "medo". Muitas vezes fazemos barulho com o intuito inconsciente de omitir ou fazer despercebida nossa fraqueza, nossos temores... E, por sermos humanos, esquecemos de buscar auxílio, pois somos egoístas... muitos dizem que "não aceitamos críticas", mas que necessitamos refletir que 'até quem sugere essa não-aceitação está, também, omitindo algo', ou seja: todos estamos à mercê do "barulho"...
E aqui retomo o ponto inicial da reflexão, concatenando as idéias: "Fazemos barulho objetivando justificar a ausência de silêncio".
Agredimos sem perceber... e não nos importamos... iniciamos conflitos por não termos ciência das palavras "e isso dá câncer", como diz a canção de Renato Russo... Fazendo uma alusão às células cancerosas, o que são senão uma aglomeração desordenada causada pela perda da sensibilidade das paredes celulares? Eis o "Barulho"... e para cada tido de "barulho" (o câncer) há um tipo de justificativa (tipos de "câncer")... E o Silêncio, simples cura, fica soterrado por inúmeras "coisas para coisas quaisquer", ficando difícil de se encontrar.
Como posso querer ouvir a voz de Deus se não faço silêncio? O silêncio é o dom de observar :) "Gato com dois sentidos não pega rato" e é verdade. Não posso me nomear "cristão" e ter um instante paralelo que seja repleto de promiscuidade, posso?! Como ouviria a voz de Deus se, sendo necessário o silêncio, faço tanto barulho? E como alcançar poderia à reflexão se há uma massa sonora que está ao meu redor?
O silêncio precisa estar no coração. É preciso que seja a base de todas as coisas, pois é no silêncio que tenho a graça de ouvir a voz de Deus. Silenciar é aprender. Não posso ouvir o outro se faço muito barulho ^^ E como poderia fazer exercer a caridade e o dom do conselho se não paro nem para prestar atenção no que meu próximo me fala? E mais... como poderia eu aconselhar, ouvindo alguém, se não faço silêncio para mim mesmo, objetivando adquirir alguma consciência, aprendizado...? Como posso dar amor, se só há barulho dentro de mim?
Deus é sabedoria em essência... e é preciso silêncio para se aprender... logo, se faço SILÊNCIO, permito que Deus seja Deus em minha vida e me preencha com o que NÃO É VAZIO: Sabedoria. Dizia São Bento que "a oração deve constituir-se em pedir FORÇA E SABEDORIA", ou seja, silêncio: "O silêncio é o mestre dos mestres, pois ensina sem falar" já que "é no silêncio que se pode ouvir a voz de Deus"...
Quantas observações... :)
Eis o dom do Silêncio...
Finalizo aqui com um pouquinho do que há em mim... um pouquinho só do que Deus colocou neste ser que também já foi bemmmm vazio :) E que ainda precisa silenciar muitoooooo!!
Deus abençoe cada leitor... Deus abençoe cada reflexão e cada semente plantada... Deus abençoe também a todos que a semente está no bolso, mas que um dia será semeada :)
Quanto a mim?! Sonho um dia poder ter uma alma forte como a árvore de carvalho :) Desejo o mesmo a todos vocês :)
Que a Santa Paz esteja sempre convosco!! E que o Amor da Virgem do Silêncio, Nossa Senhora, vos conduza até seu filho amado, nosso amado Mestre Jesus Cristo...
Paz e bem :)
Benedicite ^^

Silêncio... (parte 2 - a justificativa)

"O silêncio é o mestre dos mestres, pois ensina sem falar..." São Bento Abade

(...)
...E em meio aos aparatos capitalistas, comunistas (poderia desenvolver um "neologismo" dito "neo-comunismo) e tecnológicos... eis que temos as novas virtudes do que é a nova maneira de se comportar... "A Justificativa".
Inicialmente estranho... ou estranhamente incipiente... não sei, ao certo, talvez, quem sabe pela minha insipiência O_O , tenho observado o quanto é comum justificar-se. O mais interessante, sem querer perder o foco do Silêncio (nossa, isso daria um livro maravilhoso... *-* ), é que são justificativas plausíveis e coerentes com a essência já abordada: o vazio. Não se pode extrair água de um pote cheio de ar... ou ainda querer frutos de uma árvore sem os mesmos (tipo... fora de época...)... não dá para desfrutar de boas ondas, grandes, em uma praia com marolas... e ainda, como músico, não se consegue extrair melodias suficientemente interessantes, belas, repletas de feeling a partir de uma guitarra desafinada (rever afinações alternativas, o que é muito diferente...).
Se me vejo atrelado ao que já fora exposto, ao me deparar com uma reflexão, percebo que a melhor resposta é aquela que se aproxima do incerto... O_O
Eu heim... pensamentos frouxos, à toa... =X lá lá lá, lá ri lá lá...
...
...
...
ehh..
...
...
rapaz...
...
...
hmm... sei...

...
...
...
é...
...
...
porque sim :D ...
...
...
kkkkkkkk...
...
...
"vamo bebê pq namorá tá difícil" (¬¬' eu mereço, viu?!)
...
...
Penso ter ficado clara a idéia :)
Ah, sim, sim... a justificativa?! há muito que ser trabalhado... há muito que ser "formatado"... é necessário... ou melhor... fazem-se necessárias infinitas sessões de reflexão... graduais :) Leva-se algum tempo para se adquirir ótimos resultados, mas o fato de se iniciar, já é de grande valia, posto que as mudanças são perceptíveis em simples "guinadas" objetivas :)
Posso (E DEVO!!!!!) ser jovem e me divertir... posso (E PRINCIPALMENTE DEVO!!!) ser jovem e Amar a Deus, seguí-Lo fielmente (e isso não cabe aquela "tosca" justificativa ridícula [tenho meus parâmetros avaliativos também :)] de que "o que importa é ter Deus no meu coração e o que ELE acha de mim, e não importa o que os outros pensem de mim" porque, CARAAAAAAAAA, isso é incoerência!! Se Deus nos mostra que fomos criados à Sua santa imagem e SEMELHANÇA, creio que Deus não seja consumista, nem vazio, nem torpe, nem... "porque sim"...
Justificativas todos nós temos... mas o que nos falta, de fato, é a ação...
Temos a moção do Espírito... e o Espírito Santo é movimento :) e não estagnação :)
Ao passo que permitimos estar iguais, não há deslocamento! Esquecemo-nos, todos, das diferenças (que é o que nos move de fato ^^) e estas diferenças são, justamente o que, em união absoluta, nos torna semelhantes a Deus :) Cada um de nós leva uma partícula singular que deve ser respeitada...
Não é o fato de "não beber" que me faz estranho, pior ou melhor do que ninguém. Mas a minha atitude diante das circunstâncias... Se digo, professo e comungo que sou Cristão, não posso permitir determinadas ações porque, de fato, EU CREIO em que professo: Cristo Jesus.
É complicado?! - Eu acho que, crer ser complicado, árduo ou difícil, seja mais uma justificativa, pois ELE mesmo nos afirmou que a jornada não seria fácil, mas que aliviaria o nosso fardo; disse, ainda, que "aquele que perde sua vida por mim, a encontrará"... E ELE só afirmou isso àqueles que QUEREM seguí-lo :) ELE não afirmou que isso era OBRIGATÓRIO... Não mesmo :) ELE é bem claro em Suas palavras... são direcionadas à quem desejar seguí-lo... Opa! Isso é uma exclusão?! (pensar dessa forma já é mais uma justificativa aos que querem pensar nessa afirmativa como uma forma de polemizar... e para quê polemizar? e por quê não se abrir? Deus nos deu o livre-arbítrio, ou não? :) ) Não, isso não é uma exclusão... mas como diz na passagem do "Sal da Terra, Luz do mundo", todos somos lâmpadas :) Temos a opção de iluminar um pequeno grupinho (olha que diminuição...rs) ou unir várias lâmpadas, em candelabros, e iluminar o mundo... Há mais de dois mil anos essa máxima é pregada... e tão poucos a tem compreendido... por quê? Creio que haja a falta de mecanismos INTRÍNSECOS!!! Sim... porque o livre-arbítrio nos remete à escolha... e escolha, sinto ter que acabar com a "magia do conto de fadas", é PESSOAL... Se vou com meus amigos a algum lugar objetivando meu entorpecimento.... sinto muito, outra vez, pois jogar a culpa na influência é equiparar nosso poder de escolha, e a nós mesmos, ao de um recém-nascido... Preciso urgentemente, necessito profundamente obscurecer minhas justificativas e clarificar as minhas atitudes, meu livre-arbítrio.
Sim, necessito ser EU, ao invés de ser "aquilo"...
E até que ponto... Isso não importa... É preciso ser "livre"... inicialmente... ademais, são boas conseqüências ^^
O mundo nos oferece "tudo"... mas não oferece o essencial... não oferece verdades veementes... não oferece o que há, de fato, pro detrás dos bastidores... mas, unicamente, aquilo que está "diante das câmeras"... e, ao descobrirmos que essa "linda história de amor" não passa de um entorpecente, caímos no velho e clássico "em si", esparramamo-nos nos diversos tipos de depressão... e o buraco que cavamos, ao olharmos para cima, está tão profundo... e, poxa... onde estão as forças para subir tudo isso?! "Arg!! que dor profunda..." "Ai, como é difícil subir!!" "Deus, por que Você me abandonou?!?!?!" HEIM?!?! EU ESCOLHO afundar e, depois, a culpa é dELE??????????
Temos infinitos anjos ao nosso redor, lutando para nos cuidar... e não percebemos... mas... por culpa das MINHAS ESCOLHAS, afundei, e mesmo assim a CULPA É DE DEUS... É... parece que nos deparamos com mais uma justificativa...
"Eli, Eli, Lamá Sabactani"...
Somos coerentes em saber que podemos optar... escolher... mas cegos incoerentes ao dizer "eu não tive culpa..."

O Silêncio vem para o dom da observância... e observar é tão bom ^^

(...)

Silêncio... (parte 1 - a reflexão)

"O silêncio é o mestre dos mestres, pois ensina sem falar..." (São Bento Abade)

Aos beneditinos, uma forma inteligentíssima de se aprender alguma coisa é buscando o silêncio... A bíblia nos mostra que "só no silêncio ouviremos a voz do Pai...". O que deveria ser isso?! Que "silêncio"? Por que silenciar?
O mundo moderno traz inúmeras possibilidades de todos os tipos para todas as coisas... e vamos perdendo algumas essências fundamentalmente importantes. Tais "coisas para todas as coisas" fazem com que as busquemos mais e sempre mais, ininterruptamente! Pois o ser "humano" necessita estar inserido no todo. Necessita? Por quê?
De fato, o que me trouxe aqui à pensamentos avulsos foram questões que, além de catequese, envolve relacionamento pessoal (e a catequese é fundamental para bons frutos de relacionamento - postarei, quem sabe, num futuro remoto, algo sobre catequese... pois também sou catequista ^^) e o enquadrar-se com o todo. Para quê se enquadrar? Essa deveria ser a pergunta... e não "Por quê?".
O barulho do "universo capitalista", urbano, onde cães ladram ferozmente e, ao se depararem com um gato que sabe "arranhar", recolhem-se formidavelmente atônitos, é o que mais intriga meus pensamentos...
Eis-me aqui tentando buscar discorrer acerca do "Silêncio" e ainda sem mencionar nada diretamente sobre o mesmo... Ante tantas abstrações, venho percebendo que não há reflexões, pela grande massa absoluta, sobre o que é importante de fato! É, deixei claro que isso me incomoda (?!)... Mas que o que me satisfaz, ainda que incômodo, é o fato de poder continuar observando... e vendo que o que está escrito está acontecendo...(leiamos a fonte absoluta de reflexão e sabedoria: a bíblia :) ) Se pudesse, escreveria infindáveis e ininterruptas linhas a fio, que permeassem todas as possibilidades temáticas... e que fizessem alguma semente brotar no coração de cada leitor (será que lerão esse primeiro ensaio algum dia? não sei...) e que esta mesma semente pudesse gerar árvores de carvalho.
O que temos feito de nossas vidas, retomando o princípio temático, senão "preencher o vazio com coisas vazias"? Incluo-me também, pois estou em busca de ser preenchido com as maravilhas do que mais tenho crido em vida: DEUS. Ah! doce abstração?! Não... prefiro chamar de "concreta abstração" :) posto que tenho aprendido tanto... E eis-me aqui... tentando fundamentar algo que ainda não saiu do lugar...
Não espero já estar gerando algo na mente de quem ler, mas me satisfaço por já estar fazendo algo além que me "estagnar naquilo que e vazio", sem poder algum de reflexão... :) Feliz por estar sendo diferente (como diz a canção do Diego Fernandes com o Rosa de Saron "Tenho que ser diferente e ser eu mesmo também, Amar sem preconceitos, viver os meus preceitos e não rotular ninguém, hoje eu acordei com vontade de viver! LIVRE PARA AMAR, LIVRE PRA RESPEITAR, LIVRE PRA PERDOAR, SER LIVRE E NUNCA DESISTIR DE SONHAR"♪ Liberdade... e não uma pseudo-liberdade que me torna frágil perante simples reflexões do que tendo sido :)
Há muito barulho lá fora, que busca me manter isento de reflexão... que consegue preencher os meus dias com coisas vis, torando-me vazio :) E mais... "por que eu não consigo me libertar disso, já que sou 'livre'?". É formidável poder pensar nisso... e ter como explanar alguns devaneios... ou... utopias... ou, quem sabe um dia, pensamentos veementemente concretos... mas, como ainda matemático, tenho crido cada vez mais que existe uma P.G. que transporta minhas certezas ao que já tenho refletido acerca da humanidade... Não cessarei de lutar contra um mundo vazio, mas a Verdadeira Sabedoria já me disse antecipadamente que tem algo inevitável... e que é contra isso que não posso lutar, pois já está escrito :)

O segundo momento é "A justificativa" :)
(...)

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Deus: a essência do amor... ?

Passam-se os anos e, consigo, as mudanças são fluentes. Vivemos de preencher nossas vidas com "pedrinhas" que são coletadas ao longo do caminho... entretanto, por serem, algumas, mais vistosas que outras, esquecemos de verificar o quão merecedoras de louvor são determinadas pedras.
Limitamos nossos caminhos e a maneira que pensamos ter decidido decidir as coisas. Esquecemos de lembrar que o essencial é invisível aos olhos, e que é fundamental conhecer a procedência de todas as coisas... principalmente de nós mesmos.
Esquecemos que "o que eu vivo" não é nem depende "do que o outro vive", mas das escolhas que fazemos e da maneira com a qual alcançamos a graça de saber o que escolher.
Esquecemos, ainda, que somos templo do Espírito Santo... e que, em Sua Santa Graça, podendo pedir auxílio, isto é, desenvolver essa intimidade com Deus, passamos a deixar de lado e começamos a viver de pseudo-felicidades; acabamos ocupando demais nossas "vidas"; em suma, deixamos de viver, realmente.
Há tantas coisas boas, um legado enorme proposto por Deus, a nós, e não sabemos sequer colher um pequeno fruto disso tudo, para saborear com amor. Temos dias que nascem e que se vão... temos lindas tardes de chuva, noites tempestuosas, mas manhãs de sol maravilhosas... Temos a brisa suave que nos acalma no calor, mas que, também, nos faz sentir a presença de Deus, acariciando nossa face...
Temos o fim de tarde para apreciar, estrelas para velejar por todo o infinito e devanear, interminavelmente, enquanto durar nosso olhar para o céu...
Temos coisas simples, pequenas, mas fundamentais... Entretanto, temos o que há de melhor por toda existência humana: Deus... E ainda nos deparamos com "pequenas coisas" que nos fazem desviar o foco, que nos fazem crer que o imediatismo é fundamental, pois não existe tempo para nada disso: sem apreciações, sem reflexões acerca de nada, sem vínculos afetivos (senão interessadamente laçados), sem a busca pelo essencial. E sem esse mesmo amor, simples, como a própria palavra exprime, mas cuja força está diretamente relacionada a Deus, vamos nos permitindo conduzir por um mar vazio e frio, sem cores, sem cheiro, sem sentido...
"Amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo" é viver intensamente a oportunidade que o Paráclito nos reserva (diariamente) para conhecer a essência do Ágape...

Benedicite...

Como descrever... ?!

Como descrever... inicialmente...? nada de palavras doces... apenas o desespêro de quem está confuso...?! em seguida, o principal do Paráclito (e sabemos bem o que significa isso)... o consolo... Deus vem, liberta quebrando os grilhões, resgata, cura feridas... mostra-se em Sua plena misericórdia, independentemente de quem quer que seja, sem olhar erros e desvios, mas inteiramente focado na ontologia do ser "humano": mesmo falho, apenas um vaso passivo de ser destruído... Deus é Deus a toda e qualquer pessoa ^^
Não mede esforços, nem mensura pecados, posto que PECADO é PECADO :) Todos somos falhos e vivemos à mercê do erro e isso é tão maravilhoso!! Pois nos possibilita a graça de experimentar Deus :)
Quantas vezes chamamos Deus?! Quantas vezes nos preocupamos em encará-lo enquanto ser VIVO?! Sim, Deus ESTÁ vivo... mas... e nós? Onde é que estamos nós?! Vivos?? Será?! Segundo Santo Agostinho, "Deus nos dá uma partícula de si, denominada Animae, na qual nos conecta diretamente ao Mesmo..." . Animae (ALMA) significa VIDA... e é através do sopro de VIDA que nos conectamos a Deus... e o pior: fazemos mau uso desse dom maravilhoso. Pecado é tudo aquilo que vai de encontro ao decálogo... (sabemos o que isso significa...) o que é mais intrigante: tudo que age contra o decálogo, TUDO MESMO!!!, é um ataque simbólico a Deus... Um ataque direto àquele que nos Deus a Alma... 
Será que estamos vivendo absolutamente como Deus sonhou para nós... ou, simplesmente, conforme o que nos convêm?! Ao que nos convêm, diga-se de passagem, agir como aqueles que quiseram apedrejar Maria Madalena (procede?! Hum... interessante...) a troco de quê?! Para quê?! ou pior: Por QUEM?! 
"Amarás teu próximo como a ti mesmo..." é mais complexo e mais simples do que você tentou raciocinar... As decisões devem ser tomadas... o amadurecimento deve ser compreendido... e a evolução deve ser fecunda... Tudo isso conforme a vontade divina... pois quem somos nós, senão, míseros pecadores em busca de um pedacinho das maravilhas de Deus, não é?! ^^
 Deus é Deus e eu devo ser o adorador... Ele é o pão dos fortes, tenho fome dEle!! ♪ 
Não somos ninguém... SEM Ele ^^ Entretanto, com Ele, somos belíssimos instrumentos...
Beneditice!!

"Nunca ajudes uma borboleta a sair de seu casulo... não sabes o mal que lhe fará se o fizeres, pois suas asas não secarão, logo, não voará... portanto, não teremos a graça de vê-la embelezar o ar e alguns jardins..." ^^ 

O pedestal...

Deus, para nossa pouca sapiência é um mistério. E, sendo-o, nossa insignificância busca compreender o incompreensível. É sabido que Deus é dotados das maiores potências... e mais: que ELE é rico em misericórdia e bondade infinitas. Então, por que não crer nas promessas dAquele que tudo sabe, do alfa e ômega, princípio e fim, Mestre dos mestres, Rei dos reis e Senhor dos senhores, e procurar viver sempre com o olhar focado nELE?
É tão maravilhoso poder fazê-lo... entretanto, ainda Deus sendo absoluta perfeição, nós, em nossas imperfeições, preferimos continuar trilhando a via de seres imperfeitos, evitando a graça de buscar sermos como o Cristo ("não sou eu quem vivo, mas o Cristo que vive em mim...") e abandonarmo-nos no cólo sagrado de Deus como sendo a última das últimas coisas (e, até, insignificantes) a se fazer. Somos imperfeitos, mas Deus, em Sua suprema sabedoria, nos Deus o que chamamos de animae, e que é o nosso diferencial...
Muitos esquecemos disso, logo, esquecemos de Deus... por fim, esquecemos de pô-LO no devido lugar de nossas vidas: o mais alto pedestal.

Benedicite...